,

ZooBloom

Disponibilidade:

5 em stock (pode ser encomendado sem stock)


Mistura de Copepods bentónicos vivos Tisbe sp. e rotíferos Brachionus plicatilis vivos em garrafa.

Cultivado em laboratório e alimentado exclusivamente com fitoplâncton.

Excelente mistura de zooplâncton para alimentar uma grande variedade de organismos devido à diversidade de tamanhos e fases de cada espécie, para além de manter à distância as pragas dinoflageladas.

3,00 

Estes pequenos crustáceos constituem mais de 70% dos componentes do zooplâncton em todos os mares e são organismos de vida livre.O seu tamanho varia entre 0,2-2,5mm.São capazes de nadar mas devido ao seu pequeno tamanho não conseguem definir o seu próprio destino e são levados pelas correntes de água, razão pela qual fazem parte do plâncton.Alimentam-se de fitoplâncton (microalgas) e servem de alimento para organismos de níveis tróficos mais elevados, incluindo, entre outros, peixes.Têm hábitos bentónicos, o que lhes permite serem mantidos a densidades elevadasElevado potencial reprodutivo (fecundidade elevada e gerações curtas)O seu movimento característico em ziguezague é um importante estímulo visual para muitos peixesTêm reprodução sexual (sexos separados) e passam por seis fases larvares de nauplius e cinco fases de copépoditos antes de se transformarem em adultos.Vantagens dos copépodes como alimentoRealça a coloração natural de peixes e crustáceos.Fortalece o sistema imunitário do corpo.São especialmente úteis com alguns habitantes do aquário mais delicado na sua dieta, ou porque estão doentes ou porque não aceitam alimentos inertes.Os copépodes em cultivo de larvas de peixes marinhos demonstraram assegurar um desenvolvimento normal com melhorias no crescimento e sobrevivência, reduzindo grandemente as doenças, malformações e pigmentações anormais.Por ser bentónico e, portanto, fixado ao substrato que encontra (rochas, vidro, fundo, …), facilita a alimentação de peixes que nadam lentamente, tais como Synchiropus.Vantagens dos rotíferos como alimentoÉ ideal como alimento devido ao seu pequeno tamanho, movimento lento, capacidade de ser suspenso na coluna de água e relativa facilidade de crescimento a altas densidades.A gama de tamanhos deste organismo é adequada para a maioria dos peixes cultivados, 125-260 µm, que é um tamanho intermédio entre microalgas (20 µm) e nauplius de camarão em salmoura (500 µm).Têm uma elevada capacidade reprodutiva. Em condições favoráveis, reproduzem-se assexualmente, com as fêmeas a produzirem um ovo em questão de horas. São capazes de se reproduzir com apenas um dia de idade (ao contrário dos copépodes ou camarões em salmoura, que necessitam de 2-3 semanas).Outra vantagem é que suportam densidades elevadas na cultura.Suportam condições variáveis no ambiente em que se encontram (temperatura, pH, salinidade, oxigénio, …).Têm um movimento lento que permite que organismos com dificuldades se alimentem deles de uma forma mais simples.Ao terem uma filtragem não selectiva (como a Artemia), tornam-se presas ideais para serem enriquecidas como melhor nos convém.São de fácil digestão.A água do mar é o seu meio mais ideal, mas vivem perfeitamente num aquário marinho, uma vez que são capazes de suportar gamas de salinidade altamente variáveis (1-97ppm).Quando utilizar copépodes e para queSão uma excelente fonte alimentar para peixes algo mais delicados: corais e outros invertebrados tais como anémonas, larvas de peixe, cavalos marinhos, peixes mandarim e peixes Anthias.Se o nosso objectivo é criar mais zooplâncton no nosso aquário, devemos adicioná-los à noite para que não sejam comidos imediatamente após a sua fundição.São a melhor opção para recuperar o apetite em peixes que estão doentes ou que não comem, especialmente tangerinas, tubarões, cavalos marinhos e peixes que não aceitam comida inerte.Alimentam-se de detritos de aquário, microalgas, alimentos moídos, …Adicionam sempre o conteúdo do saco à extremidade oposta à saída de água do aquário.Quando utilizar rotíferos e para queO rotífero não é o alimento natural das larvas de peixes marinhos. Contudo, desde que foi utilizado no Japão como o primeiro alimento larvar em 1965, tornou-se o alimento vivo mais amplamente cultivado na aquacultura intensiva. Por tudo isto, é hoje largamente utilizado para alimentar larvas de peixes e crustáceos marinhos.É essencial como primeiro alimento vivo devido ao facto de o nauplius de Artemia ser inacessível às larvas durante os primeiros dias de vida.Se o nosso objectivo é criar mais zooplâncton no nosso aquário, devemos adicioná-los à noite para que não sejam comidos imediatamente após o seu lançamento.Amplamente utilizados para alimentar corais e larvas de peixes. É de notar que é especialmente recomendado para a criação de peixes como o peixe-palhaço ou o cavalo marinho, uma vez que têm uma boca muito pequena e os rotíferos tornam-se a presa ideal para o desenvolvimento destes peixes.Ideal para alimentar todos os invertebrados do nosso aquário: anémonas, esponjas, estrelas-do-mar…Traduzido com a versão gratuita do tradutor – www.DeepL.com/Translator

REF: LUNZB Categorias: ,

Marca

Fauna Marin

Baseado em 0 análises

0.0 subtotal
0
0
0
0
0

Apenas clientes logados que compraram esse produto podem fazer uma análise.

Ainda não possui análises.

OportoReefASSINE A NOSSA NEWSLETTER E RECEBA NOVIDADES E PROMOÇÕES!

Descontos e promoções diretamente em seu e-mail! Registe-se abaixo: